sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Catástrofe ambiental no Rio Paraíba do Sul impede a Piracema.

Mais uma vez o Rio Paraíba do Sul é atingido pela inconseqüência das grandes empresas. Em 2003 um grave derramamento de mais de 1 bilhão de litros de resíduos tóxicos de uma indústria em Cataguases no leito do Rio Pomba, afluente do rio Paraíba do Sul, causou enormes prejuízos ambientais. Desta vez a catástrofe se deu no leito do rio Pirapitinga, também afluente do rio Paraíba do Sul, e seus reflexos já são observados na região Noroeste Fluminense.

8.000 litros de endosulfan – inseticida altamente tóxico - foram derramados no rio Pirapitinga, próximo ao município de Resende, na última terça-feira, dia 18. Apenas 3 dias após o derramamento, os reflexos do acidente já puderam ser percebidos nas proximidades de Volta Redonda, com a ocorrência de capivaras e espécies de peixes mortas pelo envenenamento ocasionado pelo produto tóxico. Em Itaocara uma grande variedade de espécies de peixes foi encontrada sem vida ou quase mortas, pelos pescadores artesanais locais e pela comunidade ribeirinha. O abastecimento d'água foi interrompido pela CEDAE na madrugada do dia 24.

A FEEMA e Comissão Estadual de Controle Ambiental – CECA já foram mobilizadas e afirmaram que o acidente não foi comunicado pela empresa Servatis no momento da sua ocorrência. A empresa Servatis, responsável pela catástrofe, presta serviços para os segmentos de especialidades químicas e agro-químicos, incluindo sínteses e formulações. Segundo o Jornal O Globo de 21 de novembro de 2008, a ingestão do endosulfan pode causar doenças irreversíveis como, por exemplo, o câncer.
O acontecido foi fatal para pelo menos 19 espécies de peixes, deixando a comunidade indignada e comprometendo cerca de 1700 pescadores artesanais da região. O que é mais revoltante é que diversas espécies de peixes (dourado, curimatã, piau-branco etc), estavam na época da piracema e desovariam nos próximos 20 a 30 dias. Fatalmente o rio terá um baixo recrutamento para os próximos anos. Segundo o biólogo Guilherme de Souza, diretor técnico do Projeto Piabanha, a carga tóxica do inseticida afetará a ictiofauna do Paraíba por pelo menos 3 anos. Em 10 anos de trabalho, o Projeto Piabanha nunca viu uma situação tão dramática. O poder público já foi acionado e a Associação dos Pescadores de Campos quer uma audiência com o Ministro Carlos Minc.

Clique aqui para ler a nota enviada pela assessoria de comunicação da SEA (Secretaria de Estado do Ambiente)à respeito da Catástrofe.

2 comentários:

JOSÉ AUGUSTO DE ANDRADE - REVISTA PESCADOR disse...

É um absurdo a contrução de usinas neste país, não só pela ausência de interesse pelo meio-ambiente com a não construção de escadas para os peixes de Piracema, mas também da "enganação" que as empresas promovem junto a comunidade mais humilde, manipulando-as. Aqui na minha região temos a Usina de Furnas, desprovida de escadas o que comprometeu em muito a fauna ictiológica, acabando com peixes como a Pirapitinga-do-sul e a piracanjuba, ambas do gênero Brycon, parentes da piabanha do Paraíba do Sul. Lutem, lutem bastante e contem com o meu apoio e de todos os pescadores mineiros.
JOSÉ AUGUSTO DE ANDRADE
CONSULTOR TÉCNICO EM PESCA ESPORTIVA
REVISTA PESCADOR
JORNAL ALTO SÃO FRANCISCO
PIUMHI - MG

Anônimo disse...

Olá, Blogueiro!

Viemos te convidar para a Mobilização Nacional pela Doação de Órgãos. Doar órgãos é um ato de amor e solidariedade que traz mais vida e qualidade em seus dias para quem recebe. No Brasil, é a própria família quem autoriza a doação em caso de morte encefálica comprovada. Por isso, a informação é fundamental. É preciso que as famílias saibam desta vontade e se sintam seguras ao tomar esta decisão.

Abrace esta causa com a gente no Facebook:
https://www.facebook.com/DoacaodeOrgaos
E também estamos no Twitter:
www.twitter.com/doeorgaos_MS
O material da campanha para divulgação está disponível em:
http://apps.facebook.com/doacao_orgaos/?fb_source=search&ref=ts
Espalhe esse recado e nos ajude a aumentar o número de vidas salvas.

Obrigada,
Ministério da Saúde